21 de abr de 2011

Zelda Love!

Pra começar essa série de posts sobre música, escolhi alguém que me desperta admiração. A ligação dela com a música é bonita demais de se ver/ouvir, e só pra deixar bem claro, sou fã pagapau dela.

“Christina Grimmie, conhecida no YouTube como zeldaxlove64, é uma personalidade online. Como pianista e cantora, ela é conhecida pelos covers de canções de artistas como Miley Cyrus, Selena Gomez, Christina Aguilera e Justin Bieber.”

Wikipédia

 

Ok, mas quem ela é?

Christina Victoria Grimmie (nome lindo, vai dizer) nasceu no dia 12 de março de 1994, na cidade de Marlton em Nova Jersey. Posta seus vídeos no youtube a pouco mais de um ano, mas seu talento ficou mais evidente a partir de um vídeo gravado com Sam Tsui (que também fez carreira pela internet) com o cover de Just a Dream do Nelly. Esse vídeo teve mais de 22 milhões de views em 4 meses! (no canal do produtor dele, sem contar os quase 6 milhões no dela).

A partir daí a garota de 17 anos foi convidada a participar de vários eventos como o “Concert for Hope” e o “DigiTour”. No CFH, enquanto ensaiava um cover para a apresentação, recebeu a visita da sua ídola Selena Gomez, que até cantou junto sentada na platéia.

Christina disse em seu canal do youtube que não gosta de nada gravado por computador, ela faz seus próprios arranjos e os toca em cada vídeo. Nenhum deles tem alterações de playback de outras pessoas, é tudo original. Esse esforço e dedicação renderam mais de 700 mil inscritos no seu canal do youtube, os quais ela também agradece no mesmo texto.

Ela comenta ser louca por diversos jogos como Mario e Zelda (daí o nome zeldalove64) e diz preferir o Ocarina of time dentre os games da série. Você pode notar facilmente isso se prestar atenção nas camisetas que ela usa nos vídeos e até mesmo nos posters colados no cenário dos vídeos.

Ainda revela coisas como:

“A propósito, eu não sei ler as notas. Toco piano de ouvido e tiro as músicas por mim mesma, e isso é para as pessoas que perguntam de onde recebo as partituras.”

http://www.youtube.com/user/zeldaxlove64 na sessão “profile”

 

Esses são alguns dos meus vídeos preferidos:

 

 

 

 

 

 

 

Tenho vontade de colocar todos (:

Essa garota tem realmente muito tanlento, quando crescer quero ser que nem ela!

Sorte Grimmie! <3

Agenda Mississippi


Próxima atração:
HardRockers
Data: 21.04.2011


Agenda Completa!
Data: 22.04.2011 Blackbirds - Tributo a Pink Floyd
Data: 23.04.2011 Blues Beers
Data: 26.04.2011 The Blugs
Data: 27.04.2011 Jarrah Thompson (Austrália)
Data: 28.04.2011 Franciele Duarte & Banda
Data: 29.04.2011 Rafa & Tita
Data: 30.04.2011 Creedence Clearwater Revival Tribute
Data: 03.05.2011 Alemão Ronaldo Acústico

Agenda está demais, se eu pudesse ir em todos, certamente estaria!
Recomendo o show da Blues Beers neste sábado, com minha colega Camila Dengo nos vocais (:

2bgs

16 de abr de 2011

Heavenwood

Formada em 1992 em Vila Nova de Gaia (Portugal) com o nome de Disgorged (lançando 2 demos) e mudando seu nome para Heavenwood em 1996, essa banda faz uma mistura muito boa de Doom Metal com Gothic Metal, o som deles foi mudando com o passar dos anos, e com isso leia-se melhorando muito, em seus primeiros álbuns eles faziam um som muito mais “Dark” e triste, mesclando vocal gutural com vocal limpo sempre (sendo que se deve dar destaque aos vocais, com vozes lindas).
Curiosamente a banda parou por 10 anos, de 1998 até 2007 eles não lançaram nenhum álbum e atribuíam a para a problemas internos da banda, mas tudo ficou bem quando em 2008 eles voltaram laçando um álbum de qualidade incrível, melhor que todos anteriores, diferentes, mas ainda assim incríveis, não largando suas origens. Uma coisa se pode falar dessa banda, ela só melhora, o último álbum lançado por eles é nada menos que uma Obra Prima, não tem uma música ruim, ele tem muito peso com guturais, mas também letras lindas com toques de um vocal limpo dos mais bem feitos.
Outra coisa que se deve notar na banda, é que mesmo com um núcleo fixo, a banda tem constantes parcerias e/ou membros de outras bandas fazendo participações especiais, membros renomados como Kai Hansen (Gamma Ray) e Liv Kristine fazendo vocais de fundo em algumas músicas (Magníficas que se diga de passagem), a banda tem outros membros participantes como Jeff Waters (Annihilator), Gus G. (Firewind) dentre outros, não ditos propriamente membros da banda, mas sempre participando.
Heavenwood mescla elementos clichês, mas com membros tão talentosos e parcerias tão renomadas, temos um som único e o que é melhor, de qualidade, uma qualidade que eu vejo em poucas bandas do estilo.



Membros:


Fixos:

Ernesto Guerra (Vocal)

Ricardo Dias (Guitarra Solo/Vocal)

Bruno Silva (Guitarra)

Pedro Mendes (Baixo)

Daniel Cardoso (Bateria)

João Soares (Teclados)



Convidados:

Jeff Waters (Annihilator)

Gus G. (Firewind)

Liv Kristine (Ex-Theatre of Tragedy, Leaves' Eyes)

Tijs Vanneste (Oceans Of Sadness)



Discografia:

Como Disgorged:

As Illusive As a Dream (Demo) (1994)

Emotional Wound (Demo) (1995)

Como Heavenwood:

Diva (1996)

Swallow (1998)

Redemption (2008)

Abyss Masterpiece (2011)



Shows:
Como sempre eu valorizo demais a forma de como uma banda é ao vivo, se o show vale a pena, se a banda usa muita edição ou se ela é igual ao que faz no estúdio. Heavenwood é uma daquelas bandas que causa certa apreensão quando se pensa em como ela é ao vivo, mas para minha tranqüilidade, a banda é impecável ao vivo, não sempre, pois nem sempre é igual ao álbum de estúdio (isso não significa algo ruim, eles colocam um gutural a mais, um limpo a mais, nada sério), mas quando se tem a competência, o talento e a vontade de fazer música que esses caras tem, até pequenas mudanças são aceitáveis. Podendo ter quem goste e quem não goste, eu particularmente achei a banda incrível nos palcos. Tendo momentos onde se escuta uma música calma com um vocal suave e que logo em seguida se transforma e peso com um gutural mais do que perfeito. Recomendo.


Um show:


(Foi o melhor ao vivo que eu achei no Youtube :/, mas a banda não tem culpa)



Por Fim, seja com os guturais bem feitos, seja com o instrumental impecável, o vocal limpo lindo ou até suas parcerias e suas letras, Heavenwood é uma banda incrível, seus shows valem a pena e seus álbuns dão gosto de escutar. Sempre lembrando que a banda parou 10 anos e voltou ainda melhor, isso é para poucos.

Fotos:







Alguns Vídeos:

13th Moon:


(Só achei esse clipe :/)

Contatos:

Site Oficial: www.heavenwood.web.pt/

Myspace: www.myspace.com/heavenwood

Twitter: https://twitter.com/Heavenwood

Facebook: http://www.facebook.com/Heavenwood


Fontes:

www.lastfmcom.br

www.youtube.com.br

www.metal-archives.com

www.heavenwood.web.pt/

15 de abr de 2011

Art in the Streets: Um dos maiores eventos de Arte de Rua já realizados.

"A partir do dia 17 de abril o público norte-americano (e sortudos que estiverem pela terra de Tio Sam) poderão presenciar um dos maiores eventos de arte de rua já realizados no mundo: o Art in the Streets.
A mostra, realizada pelo Museu de Arte Contemporânea de Los Angeles, irá traçar o desenvolvimento do graffiti e da arte pública desde a década de 1970, concentrando-se em produções realizadas em cidades como Nova York, Los Angeles, São Francisco, Londres e São Paulo, locais que desenvolveram uma linguagem visual única.
A exposição contará com pinturas, esculturas e instalações interativas dos 50 artistas mais dinâmicos da atual cena artística, como Banksy, Os Gêmos, ROA, Space Invader e Shepard Fairey. As artes poderão ser conferidas até o dia 8 de agosto.

Veja algumas imagens desse grande encontro."















[LINK] para a notícia original. 



14 de abr de 2011

Street Art – Stencil

A arte de rua cresce cada dia mais no mundo, sendo reconhecida até mesmo pelos irritantes “Críticos de Arte”. Um bom exemplo de artistas de rua brasileiros e que estão no top dos graffiteiros internacionais, são Os Gêmeos, dois irmãos (vejam só) gêmeos (quem diria), que cresceram de São Paulo para o mundo.

Porém, hoje não vim falar do graffiti, apesar de ser um tópico que me atrai muito, mas sim de estêncil (do inglês, stencil, termo usado também no Brasil). Mas, o que é ‘estêncil’? 

Para os menos informados, estêncil é uma técnica usada para aplicar desenhos/ilustrações em superfícies. Que tipo de superfícies? Papéis, adesivos, tecidos, paredes, carros, pele e o que mais quiser imaginar.  
Um estêncil é produzido fazendo um corte ou uma perfuração em uma superfície que servira de mólde para uma aplicação. Exemplo simples e prático:

Pegue uma folha de papel.
  
Faça um furo no meio dela.


Coloque-a sobre outra folha não perfurada.

Aplique tinta (líquida ou spray), no exemplo foram feitas duas aplicações, uma em cada metade da folha, sendo uma com tinta acrílica e uma com spray.  


 Retire a folha perfurada e olhe para a que estava abaixo dela.
Sobrará uma impressão, que seria o preenchimento do furo da primeira folha, esta é uma forma de estêncil.


Mas se for assim, é muito fácil e idiota!? Não, aí que você se engana. Um estêncil geralmente tem que ser pensado e imaginado, existem vários resultados possíveis e grandes chances de dar erro. A “brincadeira” começa a ficar mais divertida a partir da aplicação de mais de uma camada, ou seja, quando o estêncil para de ter uma forma “simplista” e começa a ser trabalhado dentro dele mesmo. Vale tentar utilizar mais materiais, usar folhas coloridas invés de brancas para a aplicação, capas de cadernos e por aí vai.

A técnica do estêncil é utilizada há séculos para, por exemplo, aplicação de estampas em roupas. Quanto mais complexo o estêncil mais difícil fazê-lo.

Na arte de rua o estêncil é bastante utilizado como forma de graffiti “de rápida aplicação”. 

  
Para saber mais sobre o estêncil no Brasil e no mundo, vale à pena dar uma olhada nos seguintes links:

Exposição: “Elemento Vazado – Estêncil Arte na Matilha”, em São Paulo, começou dia 16 de Março e durará até dia 16 de Abril, ainda há tempo para uma visita. O site trás informações sobre a mesma e links para sites dos artistas participantes.
Trailer legendado do documentário “Exit Through The Gift Shop” indicado à categoria de Melhor Documentário no Oscar 2011, que mostra um pouco mais do lado underground do estêncil.





 
Lembrando que não estou encorajando pessoa alguma a sair pelas ruas aplicando estênceis a torto e a direita. Tintas spray são vendidas apenas para maiores de 18 anos e todo e qualquer ato de vandalismo pode e será punido pelas devidas autoridades. -qs

12 de abr de 2011

SugarSongs: #Dia do beijo!

Pois é, pra quem não sabe, hoje (13 de abril) é comemorado o dia do beijo.

Pra quem não quer deixar esse dia em branco, mesmo sem ter a quem beijar, tente com uma laranja, aproveite a playlist que foi preparada com carinho pra você passar vontade, ou comemorar em grande estilo:

(obs: As músicas estão em ordem aleatória)

Teenage Dream - Katy Perry

Apenas mais uma de amor – Nx Zero (Lulu Santos cover)

I’m with you –Avril lavigne:

Closer – Travis

My first kiss – 3OH3! feat. Kesha

The game of love – Michelle Branch feat. Santana

When you look me in the eyes – Jonas brothers

1234 – Plain white T’s

I miss you – Blink 182

Two is better than one – Boys like girls feat. Taylor Swift

Iris – Goo Goo Dolls

Música sem nome – Tópaz

All we are – Matt Nathanson

Love song - Sara Bareilles

Kiss me – New Found Glory (Sixpence none the richer cover)

Essas foram as sugestões de hoje. Faltou alguma música? Tem alguma que você não gostaria que tocasse durante um beijo? Comente e monte sua própria Playlist (:

Primeiro post, primeira Plist completa, espero que curtam.

Bgs, Sugar

11 de abr de 2011

A banda Avenged Sevenfold voltou ao Brasil, com quatro shows em Abril.


A banda tocou em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto alegre.

A banda norte-americana Avenged Sevenfold passou pela capital gaúcha com sua turnê ‘Nightmare’,o show aconteceu na casa do gaúcho no parque Maurício Sirotsky Sobrinho as 21 horas e teve abertura da banda gaúcha Trill, que não deixou a desejar a apresentação da banda durou aproximadamente 40 minutos e cantou apenas canções próprias.Após a banda Trill, sair do palco o Avenged atrasa por conta de um problema técnico com a grade de proteção.

Alguns seguranças até tentaram improvisar reforço, mais a produção do local afirma que o show só começou após tudo estar perfeitamente seguro. Felizmente o problema foi resolvido em minutos, dando seguimento ao tão esperado show, que fez fãs acamparem na fila durante três dias.

Com 12 anos de carreira a banda, já tem canções significativas e marcantes, para fãs que gritam com toda sua força as letras na ponta da língua.

Os ingressos variavam de R$ 80,00 reais á R$ 160,00 reais.

Set list:
1- Nightmare
2- Critical Acclaim
3- Welcome to the Family
4- Beast and the Harlot
5- Buried Alive
6- So Far Away
7- Afterlife
8- God Hates Us
9- Bat Country
10- Unholy Confessions
11- A Little Piece of Heaven
12- Fiction
13- Save Me

Welcome to the Family ao vivo em poa .-.

Então é isso champz, :*

6 de abr de 2011

Altan Urag

Olá, Eu sou o Cluricaun e esse é o meu 1 post \m/

Formada em 2002 na Mongólia, essa banda tem um som diferente de qualquer outra coisa que eu já escutei na vida, eles não são rock, folk ou música tradicional por si só, eles são uma mistura dos 3 perfeitamente e genialmente colocadas. Apesar de usarem uma mistura completamente inusitada de instrumentos, eles sabem o que fazem, arranjos perfeitos em todas as músicas, você sente o “folk” da Mongólia em suas músicas. Outro fato positivo da banda são os vocais, eles usam as técnicas usadas pelos Monges de lá, é incrível, sem contar os cantos “básicos” tradicionais. Algumas músicas contam histórias, outras tem um mistério por traz de tudo, como por exemplo uma delas ser toda ao contrário.
A banda conta que muitos instrumentos, os mais exóticos possíveis, quase todos usados em quase todas músicas, mas em momento algum o som fica caótico e sem sentido, a banda tem os instrumentos bem colocados dentro de suas músicas, junto com os mais variados tipos de vocais, masculinos ou femininos. O som deles é por vezes rápido, por vezes lento e relaxante, mas em momento algum eles perdem o seu “poder místico”, a música deles arrepia, intriga, emociona de uma forma que eu não sei explicar.
E o que se pode ler pela internet, as pessoas de lá gostam da ideia e sentem muito orgulho de ver sua cultura espalhada pelo mundo de forma tão pura e fiel. E pelo que se pode ver, diversos países do mundo parecem gostar muito da banda, mostrando como a música pode ser cultural, bem trabalhada.

Membros:

B. Erdenebat (Erka), Yoochin, Piano
M. Chimedtogtokh (Chimdee), Pipe, throat singing (vocal)
Ts. Gangaa (Gangaa), Great Fiddle, Bass
P. Oyunbileg (Oyunaa), Moriin Khuur, throat singing (vocal)
B. Bolortungalag (Tungaa), Drums, percussion
B. Burentogs, Moriin Khuur, throat singing (vocal)

Discografia:

Foal's Been Born (2004)
Made in Mongolia (2006)
Hypnotism (2008)
Blood (2009)
Nation (2010)
Once Upon a Time in Mongolia (2010)

Shows:
Eu sempre considerei a forma de como uma banda se apresenta ao vivo um dos principais fatores para julgar se ela é realmente boa. Altan Urag é ainda mais impressionante ao vivo, a banda tem muitos membros com muitas funções, nos álbuns os instrumentos ficam bem colocados, mas ao vivo eles ficam mais audíveis individualmente, mostrando todo o potencial individual de cada membro da banda. Isto é, Altan Urag é uma banda que vale a pena ver o show. Suas apresentações são além de um show diferente, são uma aula de cultura. A platéia em alguns casos faz danças diferentes de sua região, é um espetáculo a parte em seus shows. Recomendo.

Um show:


Por Fim, Altan Urag é uma banda única e não nos apresenta “só” música, mas toda uma linda cultura, Altan Urag é uma das bandas que me faz ser fascinado por música.

Fotos:






Alguns Vídeos:

RaHK II:


Requiem:


Blue Mark:


Contatos:

Site Oficial: http://www.altanurag.mn

Myspace: http://www.myspace.com/altanurag

Twitter: http://twitter.com/AltanuragBand

Facebook: http://www.facebook.com/altanurag

Fontes:

pt.wikipedia.org/

www.lastfmcom.br

www.youtube.com.br

www.altanurag.mn

Grito Rock!

Eaê gurizada, tudo tranquilo?
Espero que não! Hahá!

Porque a #Miscelanea ta aqui pra agita! Breakdown!
E então,vim fala hoje que:
Dia 19/03/2011 ocorreu a etapa de Caxias do Sul do GRITO ROCK!
Um baita festival que acontece em toda a America Latina relacionando 9 países em um único "mundo" a música!
Caxias do Sul foi apenas uma das 130 cidades brasileiras a receber esse presente.

O Festival contava com show das bandas:
The Dancing Demons (Porto Alegre),
Bob Shut (Caxias do Sul),
Zava (Caxias do Sul),
doyoulike? (Porto Alegre),
Tópaz (Cachoeirinha),
Os Oitavos (Caxias do Sul) e
Apanhador Só (Porto Alegre).

E vário workshops raríssimos, com a presença marcada de:
– Bateria: João Viegas
– Técnica vocal: Tita Sachet e Fran Duarte
– Baixo: Benhur Lima
- Guitarra: Frank Solari
– Produção musical: Ray-Z
– Produção executiva e mercado “rock” no estado: Marquise 51
– Home studio: Nei Neto

O Evento teve lá seus deslizes como o corte no fim do show da Apanhador Só, mas a produção e tudo mais fico legal, contando que em CXS é raro ve esse tipo de evento,
então fica aqui os meus agredecimentos á:
Cassiana Borilli

Ricardo Dini

Cláudio Troian

Responsáveis pela Produção Grito Rock Caxias do Sul 2011.

E de base é isso, gurizada!
Só no aguardo que em 2012, antes do mundo acabar, possamos presenciar mais um festival que faça CXS treme mais e mais ;x

Fica por aqui meu post e um Grande abraço!
Gin' x